O QUE É INBOUND MARKETING? COMO APLICAR?
  • Lu

O QUE É INBOUND MARKETING? COMO APLICAR?

“Conteúdo constrói relacionamentos. Relacionamentos são baseados em confiança. Confiança gera receita.” - Andrew Davis

Muitas pessoas dizem que é importante investir em estratégias de Inbound Marketing.


Mas afinal, o que é isso?


Inbound Marketing é o conjunto de estratégias que visam atrair e converter clientes voluntariamente. Diferente do Outbound, o Inbound Marketing baseia-se no relacionamento e educação do consumidor, usando estratégias como Marketing de Conteúdo e Automação de Marketing.


Em uma tradução livre, o termo Inbound Marketing pode ser definido como marketing de atração. A principal diferença entre o marketing tradicional (que chamamos de Outbound Marketing) e o Inbound é que, no segundo, quem procura a empresa é o cliente e não o contrário. Ou seja, são realizadas ações com o intuito de atrair o potencial cliente para seu blog ou site e, a partir dessa atração, é feito todo um trabalho de relacionamento com essa pessoa. Esse relacionamento é desempenhado por meio de conteúdo personalizado e autoral.


Esse conteúdo é uma forma de educar a audiência e potenciais clientes sobre o segmento de sua empresa, transformar sua empresa em referência em determinado assunto relacionado a seu mercado e influenciar na decisão de compra de futuros clientes.


AS 5 ETAPAS DO INBOUND MARKETING


O Inbound Marketing segue uma sequência lógica de etapas. Toda estratégia de sucesso devepassar pelas seguintes fases:

1) Atrair 2) Converter 3) Relacionar 4) Vender 5) Analisar


Abaixo temos a explicação de cada etapa:

1) Atrair:

Um site sem visitas não gera Leads, sem Leads não há vendas e, por consequência, perde-se toda a razão para se trabalhar com essa estratégia. Por esse motivo a primeira etapa do Inbound Marketing é “atrair”.


Ao invés de gastar energia em procurar pessoas que poderiam se interessar sobre seu negócio/mercado, gasta-se energia na construção de algo digno de legítima atenção e assim se atrai muitas pessoas que por espontânea vontade se interessaram no assunto.


O resultado disso é um público muito mais engajado e propenso a realmente consumir o produto. Você pode atrair seu público através de um blog ou mídias sociais.


2) Converter:

A etapa de conversão complementa totalmente a anterior: O visitante precisa virar Lead para poder avançar no processo de compra.


Nesse contexto, quando falamos de conversão, estamos nos referindo à ação do usuário de passar suas informações em troca de uma recompensa ou benefício, como uma oferta de material rico e chamativo.


Ter um site com muitas visitas e nenhuma conversão não é vantajoso no âmbito do Inbound Marketing. Existem várias formas e elementos que podem ajudar você a transformar seus visitantes em Leads, tais como landing pages ou ofertas expressivas.


3) Relacionar:

Como sabemos, nem todos os clientes em potencial estão no momento de realizar uma compra. Quando olhamos para a jornada de compra, vemos claramente que existem etapas bem definidas que devem ser respeitadas até o ponto em que uma pessoa está “pronta” para receber uma abordagem.


Para se ter uma ideia, apenas 3% do seu mercado em potencial está buscando por uma solução, ou seja, está na etapa de Decisão de Compra.


Trazendo essa abordagem para o dia a dia, dentro de uma base de Leads, podemos considerar que o cenário não é muito diferente: a partir da produção de conteúdo focada em diversos problemas e estágios de compra, atraímos também Leads em diversos estágios.


É aí que entra a etapa de relacionamento no Inbound Marketing: por meio de algumas estratégias (tais como email marketing ou automações de comunicação), identificamos os estágios em que se encontram os Leads e fazemos eles avançarem na jornada, ou seja, aceleramos o processo de compra.


4) Vender:

Todo o trabalho de geração e nutrição de Leads visa produzir demanda e gerar oportunidades de negócio para a sua empresa. Em alguns casos, o processo de vendas acontece dentro do próprio website, e em outros é necessário o contato entre um vendedor e o potencial cliente.


De maneira geral, quanto mais complexo o produto (maior o seu ticket), mais o processo de vendas tem de ser algo consultivo, concluindo o papel da nutrição de Leads de concretizar a venda.


Essa mudança de paradigmas, em que o Lead agora percorre parte da jornada de compra antes de entrar em contato com o vendedor, traz diversas implicações que estão transformando o mundo das vendas.


5) Analisar:

Um dos principais diferenciais do Marketing Digital é poder avaliar precisamente seus resultados e comprovar o retorno dos seus investimentos com base em fatos. As possibilidades analíticas do Marketing Digital são responsáveis por realimentar todo o processo do Inbound Marketing.


É possível monitorar cada ação que ocorre nas interações do seu público com seus sites, posts e campanhas, o que torna o trabalho mais inteligente.


Além disso, todo o processo pode ser otimizado detectando-se as taxas que estão abaixo do esperado para direcionar os esforços do time de marketing. Toda essa capacidade analítica do marketing é amplamente suportada por algumas ferramentas disponíveis no mercado, tais como o Web Analytics ou o RD Station.


E aí, curtiu o texto? Já sabia o que era Inbound Marketing? Já conhecia as 5 etapas? Tem alguma dúvida, crítica ou elogio a ser feito? Deixe suas impressões nos comentários! 


Escrito por Henri de Paiva. Sócio da Lumière.

#InboundMarketing #MarketingDeConteúdo #MarketingDeAtração



8 passos para aumentar suas vendas de forma agressiva

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© Lumière. Criado com carinho.